Foi no início de Julho de 2010 que principiámos os trabalhos neste sistema espeleológico. O grande volume de água que ficou retido até muito tarde nas galerias e a necessidade de resolver alguns aspectos técnicos dificultaram bastante as primeiras tentativas para bombear os sifões e abrir caminho normal à progressão.

Percebeu-se que só se conseguiria um bom ano de exploração na gruta da Contenda e que a continuação da exploração de ponta na gruta de Moinhos Velhos só seria possível se as chuvas de Outono começassem muito tarde, de modo a permitir a abertura do sifão final da Galeria da Falha.

Gruta de Moinhos Velhos - Rio Negro. Foto: A. Sobreira/SPE 2010

Os trabalhos de exploração e topografia da Gruta da Nascente do Alviela foram retomados em Junho de 2010, e não estando ainda a época terminada, é contudo oportuno fazer neste momento, um breve ponto de situação dos trabalhos realizados e objectivos conseguidos.

Em Junho a Secção de Mergulho da SPE organizou uma campanha de 4 dias com o objectivo de topografar a zona que dá acesso à chaminé nova, descoberta por Martin Burgui em 2009. As chuvas de Abril e Maio obrigaram a alterar as datas inicialmente previstas para o arranque da época em Alviela, mas conseguiu-se reunir 9 mergulhadores e 3 elementos de apoio entre os dias 10 e 13 de Junho. Foi uma excelente oportunidade de introduzir Alviela a 5 recém-formados espeleo-mergulhadores, que terminaram a sua formação GUE Cave-1 umas semanas antes.

Foram realizadas 4 imersões de topografia cobrindo as zonas D e H do sistema, e topografados mais 103m de galerias a uma profundidade média de 45m.

Em Agosto a SPE organizou nova campanha com o Barnabé Moulin para exploração da nova galeria profunda descoberta em 2009 por Martin Burgui e o próprio. Foram ligadas as duas galerias profundas (G e H no mapa sectorial) a uma profundidade de -134m.

Entretanto a Secção de Mergulho da SPE terminou a sua ambientação e treino nos recicladores (rebreathers) e as últimas imersões no Alviela já foram realizadas em circuito fechado com o auxílio destes aparelhos. As vantagens e benefícios (menor logística, maiores tempos de fundo, possibilidade de incursões a maiores profundidades) trazem um preço: as exposições cada vez mais longas (5+ horas) irão obrigar a rever soluções de acesso, plataforma e habitat para descompressão.

Em Outubro serão retomados os trabalhos de topografia da nova galeria H e exploração de novas galerias neste sector.

ALV-MapaSectorial-2010
Aproveitando as recentes chuvas, fizemos mais duas visitas à Gruta da Pena (Sistema Moinhos Velhos-Pena-Contenda). O objectivo era o de melhorar o nosso conhecimento sobre a circulação da água, conhecendo as correntes existentes na gruta. Tivemos a companhia do Pedro Carreira e do Duarte Silvestre que, este ano, terminaram o curso Cave 1 da GUE.

É sempre um prazer mergulhar nesta sistema, infelizmente na primeira imersão (dia 23/12), as condições não foram as ideais: visibilidade reduzida; necessidade de reparar a linha guia que antecede a Galeria Pressurizada; forte corrente que tornou este mergulho incompleto.
Pena20091223_LM02
Completámos na 2ª semana de Dezembro um Workshop de scooters no México com o Danny Riordan, que actuamente é o Director Técnico da GUE para a formação de mergulho em gruta.

Embora não exista actualmente curso de scooters na GUE para mergulho em gruta, esta formação corresponde à base do futuro curso oficial.
Este é um curso fantástico, onde nos é dada a possibilidade de visitar zonas de algumas grutas fora do normal circuito turístico.
Os 5 dias de duração do curso foram assim passados:
Mexico_09_Dia2_ChocMool
No dia 2 de Agosto iniciámos uma série de 7 mergulhos realizados com o objectivo básico de conhecer melhor a zona inundada do Sistema Moinhos Velhos – Pena – Contenda. Para aqui chegarmos foram 2 meses de trabalho árduo com equipagem dos vários poços, bombeamento de sifões e transporte de material ao longo de quase 1 km de gruta.

O primeiro mergulho

Para o primeiro mergulho tínhamos vários objectivos imediatos:
- Verificação do fio de Ariana original, visto o mesmo já ter alguns anos e haver a probabilidade de estar danificado
- Reconhecimento da galeria anteriormente topografada, identificando possíveis continuações
- Chegar à bifurcação registada na anterior topografia
- Iniciar a exploração da galeria que se desenvolve pela direita na bifurcação em direcção a sul

Labirinto de Moinhos Velhos. Foto: A. Sobreira/SPE 2009

Pág. 2 de 4